Sincomat

  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size

A força da Lei e não a lei da força

jamil_maurici_luiz_560x461

Parece um absurdo, mas a realidade é que apenas 3 diretores da Ceagesp (o Presidente, o Financeiro e o Técnico Operacional) dominam mais de 3 mil comerciantes, inteligentes e competentes em seus negócios de comprar e vender flores, hortifrutigranjeiros e pescados, porém, mal informados sobre os seus direitos na Ceagesp.

A Ceagesp nada mais é do que uma empresa privada, mais precisamente, uma sociedade anônima de economia mista na qual a União tem a maioria do capital acionário. E a União somos todos nós brasileiros que pagamos impostos, portanto, a Ceagesp é nossa por direito.

Para administrar a Ceagesp, são escolhidas pessoas ligadas aos partidos políticos que ganham as eleições para o Governo Federal, no caso atual, o PT (Partido dos Trabalhadores) e o PMDB (Partido do Movimento Democrático do Brasil).

A Ceagesp não recebe nenhum recurso do Governo Federal, ela depende diretamente da arrecadação dos comerciantes, aluguel (tpru) e rateio das despesas em forma de condomínio.

Depois da Constituição Federal de 1988, ou seja, há 25 anos, a situação da Ceagesp mudou. Por lei ela não poderia mais usar os contratos de permissão ou concessão de uso, apenas contrato de locação comercial, que dá uma série de direitos aos comerciantes. 

Por conveniência, mantiveram os contratos de permissões de uso, pois com o contrato de locação comercial, a Ceagesp não pode interditar ou cancelar módulos e boxes por falta de pagamento ou por qualquer outro motivo, e terão de respeitar o direito ao FUNDO DE COMÉRCIO dos atuais comerciantes.

Mas, enquanto isso não acontece, a administração, composta por apenas 3 diretores, impõem, pelo medo de interdição e cancelamento das permissões de uso, o seu poder ilegítimo.

O SINCOMFLORES, por ser um sindicato que representa comerciantes atacadistas e não permissionários, ingressou com processo na Justiça para acabar com essa ilegalidade e transformar os contratos de permissão de uso em locação comercial, garantindo a estabilidade aos comerciantes de flores nos seus locais de trabalho e a indenização do seu fundo de comércio pela Ceagesp, em caso de mudança do mercado, transferência para terceiros, e qualquer outra situação que viole os seus direitos adquiridos.

Os demais segmentos não têm nenhuma entidade que represente a categoria de comerciantes atacadistas e, assim, terão que se defender de outra maneira.

A realidade é que não é possível que por falta de informação, os 3 administradores da Ceagesp imponham a sua vontade soberana contra os mais de 3 mil comerciantes atacadistas de flores, hortifrutigranjeiros e pescados, implantando a cobrança indevida de pedágio, reforçando o caixa com a arrecadação ilegal do Fundo de Melhorias, etc.

Não é necessário manifestações incontroláveis contra os demandos, devemos usar sempre, a força da Lei e não a lei da força, porque quem ocupa um cargo político só tem medo de ser denunciado à Justiça pelas suas irregularidades e improbidades, elas serem divulgadas pela imprensa, e a sujeira atingir os seus superiores e prejudicar as eleições.

Portanto, a única arma que esses 3 administradores têm contra os mais de 3 mil comerciantes da Ceagesp, é a falta de informação dos seus direitos, e o SINCOMFLORES e o SINCOMAT estão à disposição para acabar com esse absurdo.

Comentários  

 
+1 #4 Claudio Ambrosio 14-03-2014 11:05
Hoje o Bouchar da Radio Bandeirantes, esculhambou o Presidente da Ceagesp, chamando-o de Idiota, pelo enorme congestionament o causado não só na Gastão Vidigal, ponte dos Remédios indo até a marginal Tiete.
Que ele não tem o direito de atrapalhar a vida de milhões de brasileiros que circula pela região.
Acho que esta faltando bom senso a diretoria da Ceagesp, teria que ser revista essa cobrança, pois ira afetar não só que vem descarregar seu produtos bem como quem vem comprar na Ceagesp.
Será que o que a Ceagesp vai receber compensa esse transtorno todo, causando revolta em todos os permissionários , compradores, motorista, carregadores e produtores que levam seus produtos até a Ceagesp.
Sr. Presidente vamos usar o bom senso e revogar essa licitação. que só vai dar lucro para a empresa que ganhou a licitação e deixar o pepino para o senhor enfrentar.
Citar
 
 
+1 #3 Pedro Oliveira 13-03-2014 18:26
Sou comprador ai do ceasa a mais de 10 anos, e nos ultimos anor tenho tido muita dificuldade para achar lugar para eu encostar o meu caminhão, alem da mudança de transito, parece que quem fez nunca passou na ceasa pois não entende nada de transito, pois piorou mais de 1000% .
Tenho notado tambem que estão criando dificuldade para nós compradores encontramos outro mercado para ir.
Essa diretoria e esse sindicato esta ai dentro não fazem nada para ajudar.
acho que eles querem acabar com o mercado, afugentando nós compradores
Citar
 
 
+1 #2 Alberto da Cruz 13-03-2014 18:20
Depois que puxaram o tapete do ex presidente Ambrosio. o Sincaesp ficou a merce de meia duzia de palhaços que nada fizeram pelo contrario aceitaram tudo que a diretoria quiz fazer agora com essa nova diretoria ta parecendo a mesma coisa ou seja trocaram seis por meia duzia.
Vamos acabar com esse sindicato que continua a ser capacho da diretoria da Ceagesp.
Tenho dito
Citar
 
 
+3 #1 Elcio 05-11-2013 07:03
Nós somos uma força, que não se da conta do seu poder. E por causa disso vivemos a mercê de uma minúscula união destes três por exemplo. É claro que por trás deles existem pessoas ligadas ao governo que da total cobertura ao que eles fazem.
Vamos nos unir para mostrar a nossa força em prol dos nossos direitos, não há Ceagesp sem nós, não há empregos para estas pessoas se nós não estivéssemos aqui, somos a "ancora" deste grande negócio (Ceagesp). O que precisamos é reconhecermos a nossa força e também nos unirmos, assim como estes três que trabalham em sincronia.
Citar
 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Você está aqui: Home