A few extremely flexible males can reach and stimulate their penis with their tongue or lips, and so perform autofellatio. There were also a very limited number of specialist fetish magazines which featured images of bondage, such as the famous Bizarre magazine published from 1946 to 1959 by the pioneering fetish photographer John Willie, and ENEG Exotique magazine, published 1956-1959. Pornography in the early 2000s. This category also includes pornographic home movies. Homi Bhabha defined the idea of a racial fetish in contrast to the idea of the Freudian sexual fetish which he describes a denial of difference, where the male sees the female as a castrated male, seeing missing parts rather than a different anatomy. Sexologist Alfred Kind suggested that the buttocks is the primary celebrity nudes sexual presentation site in primates. People may engage in anilingus for its own sake, before anal fingering or penetration, or as part of foreplay. Bisexual pornography is a genre of pornography which most typically depicts one woman and two men who all perform sex acts on each other. Bara male homosexual hentai designed to appeal to men. Transsexual porn star Wendy Williams has stated that transsexual porn is classified as Straight Specialty. Since at least 1973, it has also been used to refer to a sexually attractive young woman. Women porn is often produced by women and aimed specifically at the female market - rejecting the view that men are turned on by porn but women only by a box of chocolates. Strictly speaking, bondage means binding the partner by tying their appendages together; for example, by the use of handcuffs or by lashing their arms to an object. Currently, animated television series aimed at adults are some of the most popular and critically acclaimed forms of entertainment. Saliva pornography involves salivation and saliva. This stop and go build-up, known as edging, can achieve even stronger orgasms. Bisexual DVDs sell much better online than in adult video stores, possibly due to customers in stores feeling embarrassed to buy them.
 

Sincomat

  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size

Restrição de caminhões na cidade de São Paulo

Até 2014, os Veículos Urbanos de Carga (VUCs) de qualquer ano, estavam liberados para trafegar em horários de pico no centro expandido da cidade de São Paulo. Isso significava que cerca de 24 mil caminhões de pequeno porte poderiam abastecer diariamente pontos comerciais a qualquer hora do dia na Zona de Máxima Restrição à Circulação de Caminhões (ZMRC).


No cadastro da Companhia Engenharia de Tráfego (CET), há 30.914 VUCs – 20% devem ficar fora das ruas todos os dias por causa do rodízio de placas, e agora, com mais essa proibição, mais 15 mil VUC com mais de 10 anos de uso também estarão fora de circulação.


Para trafegarem na ZMRC, os VUCs deverão ter um cadastro na Secretaria Municipal de Transportes (SMT).

A inscrição pode ser feita pelo site da prefeitura, pelo link-  http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/transportes . Os veículos já inscritos já podem trafegar.

Quem não estiver regularizado e for flagrado será autuado por infração média: multa de R$ 85,13 e quatro pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH).


ATENÇÃO: Em 2014, quem tiver dificuldade para cadastrar pelo site veículos com mais de 10 anos de uso, já cadastrados anteriormente, sugerimos que preparem um pedido por escrito de cadastro do(s) veículo(s), idêntico ao anterior, e protocolem direto na Secretaria Municipal de Transporte, na Rua Boa Vista, nº 236, Centro, São Paulo, Capital, ou CET-Companhia de Engenharia de Tráfego, na Rua Sumidoro, nº 740, Pinheiros, SP, setor de protocolo, informações pelo Tel. (11) 3030-2338. 

Nosso departamento jurídico examinou a legislação e não encontrou nada sobre essa mudança. Por isso, sugerimos que protocole o requerimento acima e aguarde o resultado, e se for o caso, entre na Justiça.

 

AS RESTRIÇÕES AOS DEMAIS VEÍCULOS

Na marginal Tietê as multas começaram na segunda-feira dia 5 de março. Não pode circular caminhões de segunda a sexta-feira das 5h às 9h e das 17h às 22h, só podem circular das 9h às 17h e das 22h às 5h. Sábado manteve-se a proibição, não pode circular das 10h às 14h. Domingo e feriado podem cirular livremente sem restrição.


Além da Marginal Tietê, a fiscalização será feita entre a Ponte Aricanduva e a entrada da Rodovia dos Bandeirantes; nas avenidas Salim Farah Maluf, Professor Luis Ignácio de Anhaia Melo, Tancredo Neves, Presidente Wilson, Avenida do Estado, Paes de Barros, Ermano Marchetti, Marquês de São Vicente e na Rua das Juntas Provisórias.

Na marginal Pinheiros, av. Bandeirantes av. Afonso D' Escragnole Taunay e av. Jornalista Roberto Marinho o horário de restrição de circulação de caminhões é diferente, das 4h às 22h.

Com essa mudança a restrição na marginal Tietê, onde os caminhões não poderão circular de segunda a sexta-feira das 5h às 9h e das 17h às 22h (podem circular sem multa apenas das 9h às 17h e das 22h às 5h), sábado não podem circular das 10h às 14h, exceto domingo e feriado, que podem circular livremente.

Serão considerados irregulares e passíveis de autuação por transitar em local e horário não permitidos, os veículos que não estiverem devidamente cadastrados. A multa é de R$ 85,12, infração média, quatro pontos na carteira de habilitação e a fiscalização será por agentes e eletrônica (radares fixos) que são dotados de Leitores Automáticos de Placas (LAP).

CEAGESP/CEASA

As novas regras vão manter um canal de acesso à Ceagesp (Ceasa São Paulo). O tráfego de caminhões será liberado nas marginais Tietê e Pinheiros, mas apenas entre a rodovia dos Bandeirantes e a ponte do Jaguaré, incluindo o Cebolão e seus acessos.

CADASTRO DE TRANSPORTE DE PRODUTOS ALIMENTÍCIOS

Os caminhões de transporte de produtos alimentícios perecíveis poderão circular das 4h às 12h, mediante porte de autorização especial. Os caminhões de feirantes estão liberados das 5h às 16h, exceto feriados, que não há restrição.

Por enquanto, é necessário ter a autorização especial e fazer o cadastramento no Departamento de Operação do Sistema Viário - DSV, pela internet no endereço eletrônico, não paga nada. Basta clicar no link abaixo:

 http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/transportes

Após este cadastro,  a própria secretaria orientará sobre o envio dos seguintes documentos:

      1-    CNPJ da empresa requerente(cópia simples);

      2-    CPF/MF do representante com poderes de administração (cópia simples); 

3-    no caso de procurador, a procuração específica com firma reconhecida, acompanhada do CPF/MF do procurador (cópia autenticada);
 
4-     Contrato Social e última alteração (cópia simples);
 
5-    Certificado(s) de Registro de Licenciamento do(s) Veículo(s) - CRLV, que serão cadastrados, frente e verso;

6-    Comprovante que o veículo cadastrado é utilizado no serviço de entrega de produtos alimentícios perecíveis, com data de emissão de até os últimos 3 (três) meses. Ex.: notas fiscais de entrega de produtos alimentícios da empresa localizada no Entreposto Terminal de São Paulo da Ceagesp, ou de remessa para outro local (cópia simples);
 
7-    Para os casos de o veículo cadastrado não ser de propriedade da empresa, comprovante do vínculo entre o veículo envolvido transportador, tais como: Contrato de Prestação de Serviços de Transporte, ou Declaração da empresa contratante localizada no Entreposto Terminal de São Paulo da Ceagesp com o transportador e destinado à entrega de produtos alimentícios fora do Entreposto da Ceagesp (original com firma reconhecida).
VENCIMENTO DO CADASTRO
Quem já fez o cadastro precisa verificar a data do vencimento.

O Atendimento é realizado através do número 1188.
Se estiver ligando de fora do município de São Paulo, ligue (11) 3396-6709.
Qualquer dúvida ligar para o número 1188. Se estiver ligando de fora do município de São Paulo, ligue (11) 3396-6709. 

Continua normal o rodizio de veículo pelo final da placa, mesmo com este cadastro.

 Veja as vias que já estão proibidas de circular:
 

mapa_restricao_caminhao

•Na Marginal Pinheiros (em todas as suas denominações), pistas local e expressa, no trecho compreendido entre a Ponte do Jaguaré e a Ponte do Morumbi (excluídas da restrição as referidas pontes e suas alças de acesso), nos dois sentidos;
•Na Av. dos Bandeirantes - em toda sua extensão, nos dois sentidos;
•Na Av. Affonso D´Escragnolle Taunay - em toda sua extensão, nos dois sentidos;
•Na Av. Jornalista Roberto Marinho - em toda sua extensão, nos dois sentidos.
•Na Avenida Giovanni Gronchi, entre Av. Carlos Caldeira Filho e Av. Morumbi;
•Na Avenida Morumbi, entre a Ponte do Morumbi e a Avenida Prof. Francisco Morato;
•Na Rua Dr. Luiz Migliano, em toda extensão;
•Na Avenida Dr. Guilherme Dumont Vilares, em toda a extensão;
•Na Avenida Jacob Salvador Zveibil, em toda a extensão;
•Na Avenida João Jorge Saad, em toda a extensão;
•Na Rua Eng. Oscar Americano, em toda a extensão;
•Na Avenida Padre Lebret, em toda a extensão;
•Na Avenida Jules Rimet, da Praça Roberto Gomes Pedrosa até a Avenida Padre Lebret.
Excepcionalmente os Veículos Urbanos de Carga – VUC (6,30 m de comprimento total por 2,20 m de largura) tem o trânsito liberado, por período integral, nas referidas vias, mediante cadastramento no Departamento de Operação do Sistema Viário - DSV.

Na região do Morumbi o horário da proibição será mantido das 5h às 21h durante a semana e, das 10h às 14h, no sábado. Feriados também não entram nesta proibição. As vias da região onde há  restrição são: Avenida Giovanni Gronchi (entre Avenida Carlos Caldeira Filho e Avenida Morumbi), Avenida Morumbi (entre a Ponte do Morumbi e a Avenida Prof. Francisco Morato, Rua Dr. Luiz Migliano (em toda a extensão), Avenida Dr. Guilherme Dumont Vilares (toda a extensão), Avenida Dep. Jacob Salvador Zveibil (toda a extensão), Rua Eng.  Oscar Americano (toda a extensão), Avenida Padre Lebret (toda a extensão), Avenida Jules Rimet (entre a Praça Roberto Gomes Pedrosa e Avenida Padre Lebret) e Avenida João Jorge Saad (toda a extensão).

Comentários  

 
0 #147 samuel gomes 12-11-2014 18:14
deveria ter restrição para carro de passeio não para caminhões ! afinal os produtos em geral que todos consomem chegam de caminhão... agora o que dizer de tantos veículos de passeio rodando na cidade de são paulo deveria ser liberado somente em finais de semana
Citar
 
 
+3 #146 laercio 06-11-2014 21:20
Aonde estão os tantos sindicatos de motoristas que vivem a cobrar anualmente a taxa de contribuição? Se acovardam, se escondem nos deixando sós. Também tenho um caminhão VUC ano 1990, comigo a sete anos todo inteiro e bonito e não posso trabalhar. Garanto-lhes, onde vai um novo o meu também vai. Mas um imbecil qualquer criou essa lei que me impossibilita. Por que não criam uma forma de ficar com nossos veículos como parte de pgmto. e nos liberem novos?
Citar
 
 
+3 #145 juraci vicente 28-10-2014 20:12
na verdade eu trabalho no ramos de mudanças eu moro na capital pelo que eu vejo eu não vou poder cadastra o meu caminhão porque ele evelho mas e muito bom eu ja tenho ele a 19 anos toda vida trabalhei com mudanças e agora eu tenho que para de trabalhar porque so que quebra e caminhão velho todo dia tem caminhão novo quebrado nas avenidas de s. paulo porque DISCRIMINA OS CARROS MAS velho s isto e discriminaçao boa noite
Citar
 
 
+4 #144 juraci vicente 28-10-2014 20:02
boa noite eu tambem fiquei indignado com essa medida da prefeitura com essa proibição aus caminhõs eu sou altonomo e so tenho um caminhão toco como meu ganha pão e agora com esta restrição não poço mas trabalhar com mudanças e eu vol fazer uque agora eu não poço compra um caminhão novo o meu caminhão e muito antigo mas todo revizado manuteção em dias mas não posso trabalhar ( e agora eu vol viver de que este e o meu protesto
Citar
 
 
+9 #143 lucio 15-09-2014 20:07
como pode um microonibus escolar rodar 20 anos carregando vidas e um vuc esta proibido
Citar
 
 
+9 #142 lucio 15-09-2014 20:05
gostaria de saber porque um microonibus escolar que teoricamente e a mesma categoria de um vuc pode rodar 20 anos em qualquer horario carregando vidas e um caminhao ser proibido
Citar
 
 
+3 #141 Mauro Henrique Aurel 06-09-2014 20:49
o sindicato deveria entrar com a ação contra a prefeitura, pois está lei prejudica muitos pais de familia que tiram o sustento do trabalho com seus caminhões. Será que o sindicato não poderia entrar com essa ação. se precisar de assinaturas garanto que vamos ter bastante

RESPOSTA: O Sindicato representa os comerciantes atacadistas de hortifrutigranj eiros e pescados em centrais de abastecimento de alimentos no Estado de São Paulo e só pode entrar com ação coletiva para essa categoria econômica, e, mesmo assim, teria que realizar uma assembleia com eles para organizar esta ação. O que vocês podem fazer, é juntar um grupo de interessados e entrar com ação na Justiça, mas tudo isso precisa ser analisado por um advogado com experiência nessa área e devidamente contratado pelo grupo.
Citar
 
 
+8 #140 Mauro Henrique Aurel 06-09-2014 15:41
como fazemos para entrar com uma ação contra a prefeitura,nos oriente como devemos proceder???? aguardo sua orientação
Citar
 
 
+22 #139 Juliana 19-08-2014 16:09
Li a matéria acima, entrei em contato com a CET, para perguntar que informações deveriam constar para solicitação do pedido. Me informaram que eu poderia protocolar minha solicitação, no entanto, não há certeza de nada.
Ano de Eleição, temos que fazer alguma coisa, nos mobilizar.
Interessados, curtam esse post para vermos a melhor forma de reivindicarmos nossos direitos.
Citar
 
 
+13 #138 alguerdas bucionis j 18-08-2014 13:57
lei municipal que tira o direito de ir e vir , direito ao trabalho e cidadania para brasileiros nacidos nesta terra de ninguem e' inconstituciona l e ninguem faz nada !!!
Citar
 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Você está aqui: Home